X
Subscription
Thank You
Thank you for your subscription
* Required fields
4
Maio
2017
Proterris e Alfama concluem fusão que cria o líder mundial em terapias com Monóxido de Carbono
Da Operação Resulta o Estabelecimento da Subsidiária Europeia da Proterris em Lisboa
 
A Proterris, Inc., empresa dedicada a terapias que utilizam doses baixas de monóxido de carbono, e a Alfama, Inc. anunciaram hoje a conclusão de uma fusão que dá origem ao operador líder mundial no campo das terapias por monóxido de carbono (CO). A Proterris – que domina as aplicações de CO na sua forma gasosa – adquiriu os ativos da Alfama na área das moléculas libertadoras de CO (CO Releasing Molecules, ou CORMs), considerados os mais extensos neste campo. Como consequência da aquisição, a Proterris adquire todas as subsidiárias da Alfama, incluindo a Alfama Investigação e Desenvolvimento de Produtos Farmacêuticos Lda., sedeada em Oeiras, perto de Lisboa, que passará a ser chamada Proterris (Portugal) Lda.
 
Na sequência da fusão, a Proterris irá também implementar uma colaboração com o Professor Carlos Romão, do Instituto de Tecnologia Química e Biológica (ITQB) da Universidade Nova de Lisboa, investigador pioneiro e um dos inventores da tecnologia CORM da Alfama, de forma a continuar a otimização de CORMs para um leque de indicações clínicas. “A Alfama descobriu e desenvolveu famílias únicas de CORMs, que demonstraram potentes efeitos antifibróticos, anti-inflamatórios e cito-protetores com muito baixa toxicidade”, referiu o Doutor Jeffrey D. Wager, Presidente e CEO da Proterris. “Até agora, a obtenção deste tipo de perfil farmacológico em CORMs esteve fora do alcance tanto de cientistas como de empresas da área. Os ativos da Alfama no campo das CORMs incluem excelentes candidatos ao desenvolvimento de novos medicamentos para indicações clínicas menos passíveis de serem endereçadas por terapias que usam o CO na sua forma gasosa. Adicionalmente, ao estabelecer a Proterris (Portugal) Lda., passamos a estar bem posicionados para apostar em atividades de angariação de fundos e parcerias na Europa, tanto no sector público como no privado.”
 
Em anos recentes, Jeff Wager concebeu e estruturou um vasto leque de operações multinacionais de fusão e aquisição no sector das ciências da vida, incluindo um importante “spin-out” de uma empresa japonesa envolvendo investidores americanos e asiáticos, um fundo de capital de risco empresarial baseado na UE e que opera na Europa e nos EUA, e uma operação no Brasil que juntou fundos de private equity norte-americanos e latino-americanos. “A fusão da Alfama com a Proterris representa um encaixe altamente estratégico e sinergístico entre duas empresas com objetivos comuns, bem como um aumento muito substancial do valor das posições detidas por ambos os grupos de acionistas,” comentou Nuno Arantes-Oliveira, fundador e presidente da Alfama. “Estamos muito contentes por fazer da Alfama parte do excepcional portfólio de propriedade intelectual da Proterris, o que constitui mais um passo crucial no sentido de colocar as terapias de CO ao alcance dos doentes”.
 
Celso Guedes de Carvalho, CEO da Portugal Ventures, um dos maiores acionistas da Alfama, acrescentou: “Esta operação demonstra como o apoio a investimentos de longo prazo – tendo em conta o tempo e capital necessários no sector da biotecnologia – permite que tecnologias disruptivas cheguem aos doentes. O caso da Alfama mostra que, quando a tecnologia é verdadeiramente inovadora e a equipa forte e resiliente, vale a pena esperar. Acreditamos que esta fusão, apoiada pela Portugal Ventures, vai aumentar significativamente a visibilidade internacional do emergente sector das ciências da vida em Portugal”.
 
A proposta de valor Proterris-Alfama para terapias com CO está validada por mais de 22 milhões de dólares em financiamento para três ensaios clínicos de Fase 2 que usam CO como gás. Os NIH (National Institutes of Health) financiaram estes ensaios durante os últimos cinco anos, endereçando indicações clínicas cobertas por patentes registadas pela Proterris ou licenciadas a um conjunto de universidades de topo norte-americanas.
 
Sobre a Alfama
A Alfama é a empresa de referência no desenvolvimento de moléculas libertadoras de monóxido de carbono (Carbon Monoxide-Releasing Molecules – CORMs) para terapia. A empresa produziu centenas de CORMs e obteve resultados excepcionais em modelos animais de várias doenças humanas, crónicas e agudas. As CORMs têm o potencial de expandir as terapias baseadas no CO para uma vasta gama de indicações de alto valor, podem ser administradas por via oral ou intravenosa, e demonstram uma janela terapêutica e um perfil de segurança muito atrativos. Após adquirir a empresa rival hemoCORM Ltd, baseada em Londres, a Alfama passou a controlar um conjunto diversificado de famílias de patentes e pedidos de patente à volta de CORMs, que na sua totalidade posicionam a empresa como um líder incontestado na tecnologia CORM.
 
A Alfama foi fundada em Portugal e recebeu investimento de agências de capital de risco, entre elas a Portugal Ventures, bem como de investidores privados dos EUA, do Reino Unido, de Espanha e de Portugal. A empresa reuniu uma equipa internacional de líderes científicos e empresariais. Entre os seus fundadores contam-se pioneiros como Werner Haas (antigo cientista da Roche), Carlos Romão (catedrático de Química da Universidade Nova de Lisboa), Stan Kugell (Chairman da empresa), e Nuno Arantes e Oliveira, que atuou como CEO e Presidente.
 
Sobre a Proterris
A Proterris é uma empresa em fase de desenvolvimento clínico dedicada às aplicações terapêuticas do monóxido de carbono em doses baixas. A empresa baseia-se na investigação científica pioneira de Augustine M.K. Choi, MD, o Stephen and Suzanne Weiss Dean da Weill Cornell Medicine e Provost for Medical Affairs da Universidade de Cornell, e de David J. Pinsky, MD, o J. Griswold Ruth M.D. & Margery Hopkins Ruth Professor de Medicina Interna, Professor de Fisiologia Molecular e Integrativa, Chefe de Medicina Cardiovascular e Diretor Científico do Centro Cardiovascular da Universidade do Michigan, que entre eles e a Proterris geraram um importante corpo de investigação clínica, translacional e mecanística, bem como um vasto portfólio de propriedade intelectual. Alavancando as propriedades anti-fibróticas, anti-inflamatórias e cito-protetoras bem demonstradas do CO, a Proterris concentra-se inicialmente no desenvolvimento de terapias de CO para função retardada de enxertos (delayed graft function - DGF) em receptores de transplantes renais e em fibrose pulmonar idiopática (idiopathic pulmonary fibrosis – IPF). Outras indicações (hipertensão arterial pulmonar e síndroma do desconforto respiratório agudo) estão também a ser desenvolvidas pelos NIH. Em suma, o CO tem um enorme potencial para produzir um impacto significativo nas vidas de milhões de doentes que sofrem de um conjunto de doenças crónicas e agudas Para mais informações, visitar www.proterris.com.
 
Para mais informações, contactar:
Jeffrey D. Wager, M.D., Chairman & CEO, Proterris, Inc.
Tel: +1.508.400.1856
 
Contactos para os media:
MacDougall Biomedical Communications
Kari Watson or Stefanie Tuck
Tel: +1.781.235.3060

 

Share