X
Subscription
Thank You
Thank you for your subscription
* Required fields
17
Março
2017
Reforço de 75 milhões de euros para financiar projetos turísticos distintivos
As empresas de turismo vão poder continuar a aceder à linha de financiamento “Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 2017” dotada com mais 75 milhões de euros, decorrente do Protocolo reafirmado hoje entre o Turismo de Portugal, 12 instituições bancárias e a Portugal Ventures.
 
Decorrido apenas um ano, após o anúncio da Linha de Apoio à Qualificação da Oferta foram já aprovadas 83 operações, com um valor de investimento associado de 133 milhões de euros e um financiamento aprovado de 65 milhões de euros. Encontrando-se, ainda, em análise 28 operações, com um investimento associado de cerca de 32 milhões de euros. Isto é, num só ano foi ultrapassado o orçamento previsto. Em face do excelente desempenho da linha e do forte impulso que a mesma provocou no investimento, irá proceder-se ao reforço do orçamento em mais 75 milhões de euros.
 
Com a renovação da Linha de Apoio à Qualificação da Oferta pretende-se reforçar a parceria existente entre o Turismo de Portugal e o mercado financeiro, tendo em vista assegurar às empresas turísticas condições para o acesso das mesmas a financiamento em condições de prazo e de preço adequadas às suas necessidades, sobretudo de médio e de longo prazo, melhorando o seu relacionamento com o mercado financeiro.  
 
Este instrumento, de configuração única no atual contexto do apoio ao investimento, ganha agora uma maior abrangência, e consagra novas prioridades de atuação estratégica, em linha com as atuais necessidades das empresas e do setor. 
 
Para o Presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, “Ambicionamos que esta linha de crédito volte a privilegiar os projetos que, pelas suas caraterísticas, contribuam para a dinamização turística dos centros urbanos, privilegiem a fruição do nosso património cultural edificado e a reabilitação urbana, se traduzam em novos negócios turísticos, nomeadamente na área da animação turística, sejam energética e ambientalmente sustentáveis, e contribuam para a permanência média do turista e para a redução da sazonalidade. O sucesso dos resultados alcançados em 2016 é um fator determinante para continuarmos a apostar neste tipo de instrumentos de apoio ao empreendedorismo no setor”, reforça.
 
A nova linha tem uma componente de capital de risco, caso as empresas o solicitem. Celso Guedes de Carvalho, CEO da Portugal Ventures sublinha que “a parceria hoje estabelecida vai permitir que as empresas tenham acesso a capital de risco, numa altura em que o aumento exponencial do turismo em Portugal cria oportunidades de crescimento e impulsiona o nascimento de novos negócios”. “As empresas vão poder beneficiar da experiência e rede de contactos da Portugal Ventures, que tem no seu portefólio 19 empresas do sector do turismo. Iremos contribuir com capital até 35% do valor do investimento e acompanharemos os projetos promovendo, nomeadamente, sinergias entre empresas do seu portefólio”, detalha.
 
O financiamento global pode ascender a 75% do valor do investimento, com a possibilidade de um prazo máximo de reembolso de 15 anos, incluindo 4 de carência, sendo, em regra, tal financiamento assumido em 60% pelo Turismo de Portugal, I.P. e em 40% pelo Banco (em casos especiais, como projetos de empreendedorismo, a participação do Turismo de Portugal, I.P. no financiamento é de 75%, cabendo ao Banco assumir 25% do financiamento). A componente do Turismo de Portugal, I.P., no financiamento não vence qualquer juro, regra geral, enquanto a componente de financiamento do Banco vence o juro acordado com a empresa.
 
Ainda de destacar enquanto novidade a previsão de atribuição de um prémio de desempenho para projetos localizados no interior do país, em linha com o Plano Nacional de Coesão Territorial, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros nº 72/2016, de 20 de outubro, pretendendo-se, assim, valorizar os investimentos a realizar no interior do país, e finalmente, a simplificação do processo de análise e de decisão dos pedidos de financiamento.
 
Turismo Crescimento FCR, e as principais novidades do novo protocolo 
 
O Turismo Crescimento FCR é um novo instrumento financeiro, criado em parceria entre o Turismo de Portugal e a Portugal Ventures, com um capital indicativo de 15 milhões de euros, e que pretende criar condições para a diversificação das fontes de financiamento das empresas já existentes, desta feita com recurso a instrumentos de capital.
 
Nota: O grupo das instituições de crédito aderentes à Linha reúne o Millennium BCP, Novo Banco, Santander Totta, Banco BPI, Caixa Geral de Depósitos, Banco Popular, Montepio Geral, Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, Abanca, Banco Português de Gestão e Banco BIC e Novo Banco Açores.
 
Sobre o Turismo de Portugal
Tutelado pelo Ministério da Economia, o Turismo de Portugal é a Autoridade Turística Nacional responsável pela promoção, valorização e sustentabilidade da atividade turística, agregando numa única entidade todas as competências institucionais relativas à dinamização do turismo, desde a oferta à procura. Com uma relação privilegiada com as outras entidades públicas e os agentes económicos no país e no estrangeiro, o Turismo de Portugal está empenhado em cumprir o desígnio de reforçar o turismo como um dos pilares do crescimento da economia portuguesa. 
Info: turismodeportugal.pt
 
Sobre a Portugal Ventures
A Portugal Ventures é a empresa pública de capital de risco e foca a sua politica de investimentos em projetos inovadores de base cientifica e tecnológica e em empresas com projetos de expansão internacional. Atua nas aéreas de Digital, Engineering & Manufacturing, Tourism e Life Sciences e tem fundos sob sua gestão no valor de, aproximadamente, 400 milhões de euros.
Share