Ask the Expert

Luís Araújo, Presidente Turismo de Portugal

_PAF3297.jpg

(English version - scroll please)

 

Quais são as áreas do setor do turismo que considera ser prioritárias nesta fase para Portugal?

O setor do turismo assume a posição de um dos principais motores da economia nacional. Encontramo-nos numa fase em que Portugal é já um reconhecido destino turístico a nível internacional, recebendo prémios e distinções notáveis. É, portanto, o momento de garantir a sustentabilidade do crescimento que o setor tem vindo a ter. 

Esta é precisamente uma das nossas prioridades, assumida na Estratégia Turismo 2027: crescer cada vez mais em valor, posicionando Portugal como um dos destinos turísticos mais competitivos e sustentáveis do mundo. Portugal é um destino ideal para visitar, investir, viver, estudar e realizar grandes eventos: aquilo que queremos é ter produtos diversificados que nos tragam turismo todo o ano e em todo o território. Desta forma, o setor assumir-se-á cada vez mais como hub para o desenvolvimento económico, social e ambiental em todo o território. 

Finalmente, é crucial valorizar a formação e as pessoas que trabalham no turismo, com políticas concretas de qualificação e capacitação que procuramos implementar através das nossas Escolas de Turismo e de programas específicos.

Considera que o capital de risco é também importante para o setor do turismo? Porquê?

Entre os vários mecanismos e instrumentos financeiros que permitem criar novas formas de facilitar o acesso das empresas do setor do turismo ao financiamento (crédito e capital) e concretizar os investimentos necessários à sustentação do crescimento que temos vindo a registar, o Capital de Risco assume-se como fator relevante de reforço financeiro associado aos negócios, promovendo empresas e investimentos, permitindo dar consistência e credibilidade a novos projetos, fomentando a competitividade e apoiando a inovação e diversificação.

Negócios inovadores e parceiros credíveis, assentes em plataformas de confiança e de partilha do risco são determinantes para o sucesso dos projetos de capital de risco.

O Capital de Risco como participação de capital minoritária e temporária, tem carácter proactivo e dinamizador nos projetos com potencial de crescimento.  Partilhando-se o risco das operações, criam-se condições para que as empresas possam ser financeiramente apoiadas em fases futuras da sua atividade e aportam-se para a operação sindicada as melhores práticas das instituições envolvidas, reforçando a solidez financeira e diminuindo os níveis de alavancagem das empresas.

De que forma a Call For Tourism da Portugal Ventures complementa os instrumentos de financiamento que o Turismo de Portugal oferece aos empreendedores?

Os desafios que as empresas turísticas enfrentam exigem a adoção de diversas medidas que permitam uma mobilização significativa de recursos financeiros para o estímulo do investimento no setor. Em especial, as dificuldades de financiamento impõem o desenvolvimento de ações concretas que contribuam para a consolidação e alargamento dos meios de financiamento disponíveis para as empresas.

Justifica-se, por conseguinte, a constituição de fundos que concentrem recursos para aplicação mais eficiente no financiamento do setor do turismo, que fomentem uma cultura de empreendedorismo, criando novos negócios, mas também contaminando o setor com novas soluções de criação de valor, com elevado potencial de crescimento e de valorização.

A Call For Tourism da Portugal Ventures concretiza o objetivo de dar um impulso às empresas, a novos negócios e serviços turísticos que complementa e salvaguarda o portefólio dos instrumentos e apoios do Turismo de Portugal. Importa, por isso, reconhecer que um adequado modelo de financiamento dos investimentos passa forçosamente por se assegurar um nível de capitais próprios adequado aos investimentos realizados e a realizar, sem esquecer, naturalmente, a própria situação económico-financeira das empresas existentes e a capacidade de mobilização de meios das mesmas. Neste sentido, a intervenção pública do ponto de vista de financiamento das empresas do setor deve exigir e encontrar as formas contratuais que assegurem à partida que esse nível de capitais próprios ou de mobilização de fontes alternativas de financiamento se encontre assegurado.

E em termos geográficos, existem regiões classificadas como prioritárias, para fazer crescer negócios que contribuam para o desenvolvimento da oferta turística do país?

Não há uma classificação de regiões que permita afirmar que algumas são prioritárias, até porque um dos grandes objetivos estratégicos é, como já referido, alargar a atividade turística a todo o território. Contudo, fruto deste objetivo, o Turismo de Portugal tem vindo a olhar de forma consistente e estruturada para o interior do país e também a sensibilizar os seus parceiros, públicos e privados, para esta região. A ideia central é que o turismo pode efetivamente ser fator de desenvolvimento sustentável e de coesão social.

Which areas in the Tourism sector do you believe are a priority at this stage in Portugal?

The Tourism sector is one of the main drivers of the Portuguese economy. Portugal is already seen as a tourist destination worldwide and has received noteworthy distinctions and awards. The time has, therefore, come to ensure the sustainability of the growth this sector has achieved. 

This is precisely one of our priorities and one that has been included in the 2027 Tourism Strategy: growing increasingly more in value and positioning Portugal as one of the most competitive and sustainable tourism destinations in the world. Portugal is the ideal destination to visit, invest in, live in, study and host major events. What we strive for is to have diversified products that ensure tourism year-round and across the country. Thus, the sector acts increasingly more as a hub for the country's economic, social and environmental development.

And, finally, it is essential that we value training and the people who work in tourism, with specific qualification and capacity-building policies that we seek to implement through our Tourism Schools and targeted programmes.

Do you believe venture capital is also important for the Tourism Sector? Why?

Among the various measures and financial instruments that enable the creation of new ways to facilitate access to financing (credit and capital) for companies in the Tourism sector and the investments required to sustain recent growth, Venture Capital plays an important role in increasing funding for businesses, promoting companies and investments, providing consistency and credibility to new projects, fostering competitiveness and supporting innovation and diversification. 

Innovative businesses and credible partners, based on trustworthy platforms and shared risk, are decisive for the success of venture capital projects.
 
Venture Capital, as a minority and temporary stake in a company, plays a proactive and catalysing role in projects with growth potential.  By sharing the risk of transactions, conditions are created for businesses to receive financial support in the future stages of their operation and best practices from stakeholder institutions are brought to syndication deals.

How does Portugal Ventures’ Call for Tourism complement the financial instruments Turismo de Portugal has for entrepreneurs?

The challenges that tourism companies face require various measures to be adopted to enable the mobilisation of significant financial resources to stimulate investment in the sector. In particular, financing difficulties require the implementation of specific actions that contribute to the consolidation and broadening of financing available to companies.

So, it makes sense to create funds that pool resources that are to be used as efficiently as possible in the financing of the Tourism sector, thus fostering a culture of entrepreneurship, by creating new businesses while populating the sector with new solutions that create value with high growth and valuation potential.

Portugal Ventures’ Call for Tourism is effectively able to provide an impetus to companies, new tourism businesses and services which complement and preserve Turismo de Portugal's portfolio of instruments and funds. It is, therefore, important to recognise that an adequate financing model for investments necessarily includes ensuring a suitable level of equity for investments made and to be made, without neglecting, of course, the economic and financial situation of the existing companies and their ability to move resources. In this regard, when it comes to financing companies in the sector, public intervention must require and seek contractual means to ensure that this level of equity or mobilisation of alternative sources of financing are assured from the outset.

Geographically, are there any regions that are considered a priority to grow businesses that contribute to the development of the tourism offering in Portugal?

Regions are not classified in a way that allows us to state that some are a priority. In fact, one of the major strategic goals is, as previously mentioned, to push tourism to the four corners of the nation. That being said, as a result of this goal, Turismo de Portugal has been focusing on inland Portugal in a consistent and structured manner and making our public and private partners more aware of the region. The core belief is that tourism can effectively be the driving force behind sustainable development and social cohesion.