Miguel Pina Martins, CEO Science4You

Foto_MPM.png

(English version scroll please)

O que significa fazer um IPO?

É um marco na história da empresa, no ano em que cumprimos 10 anos, entrarmos em bolsa, é ir a um nível de exposição ao qual nunca tínhamos ido. Como se costuma dizer, é começar a jogar ‘noutra Liga’, muito mais exigente e também com muito mais oportunidades. É também interessante por permitir a mais investidores participarem no desenvolvimento da Science4you, uma strt up 100% portuguesa.

A empresa que produz e comercializa brinquedos e jogos educativos de ciência nasceu há 10 anos. Com mais de 20.000 pontos de venda, os brinquedos da marca chegam já às prateleiras de mais de 40 países por todo o Mundo.  O que o motiva a entrar em Bolsa? Porquê nesta altura?

Motiva-nos dotar a empresa de uma estrutura de financiamento mais diversificada, sobretudo ao nível do seu capital, adequada à continuação da sua expansão e criação de valor para os seus accionistas. Sempre acreditamos que era possível fazer um IPO, mas houve uma operação este ano, a da Raize, que nos deu o ‘trigger’. Se a Raize fez, pode haver aqui uma hipótese de nós também fazermos, tendo em conta todos os indicadores que comparamos, e como tal decidimos ir em frente. É também importante para permitir remunerar os accionistas mais antigos e que estão ao nosso lado há mais tempo, nomeadamente a Portugal Ventures.

O que é que o Miguel espera alcançar com esta entrada em Bolsa?

Uma parte muito significativa da operação é para que a empresa se capitalize e continue a crescer muito mais do que fez no ano passado. Este investimento serve para uma aposta muito clara no e-commerce a nível de brinquedos. Os brinquedos são das coisas que é mais fácil e tem uma maior quota a nível de mercado online e nós achamos que ainda temos um potencial muito grande dentro da Science4you para continuar a crescer. Há uma parte muito significativa deste investimento que é para continuar na aposta do e-commerce, que acreditamos plenamente ser o caminho onde se vão vender brinquedos nos próximos dez anos. É também muito importante para credibilizar a empresa nesta fase de grande expansão internacional.

A Science4You comemora 10 anos em 2018. Onde vê a empresa daqui por mais 10 anos?

10 anos hoje em dia é uma eternidade. Se alguém me perguntasse há 10 anos onde via a Science4you, mentiria se dissesse que a via a fazer um IPO, mas acho que sempre tive a ambição de a tornar uma multinacional global de brinquedos, de qualidade, competitiva, que levasse o nome de Portugal por esse Mundo fora.

Quais as etapas por que passou e que considera serem fundamentais na vida de uma startup para que possam vir a ter um final feliz, como é o caso da Science4You? É uma startup que começou apenas com €55k.

Tento inspirar futuros empreendedores e mostrar que do nada é possível fazer uma empresa com alguma dimensão, pois no meu caso tudo começou com 1.125 euros do meu bolso, um projeto final de curso do qual ninguém gostava muito e praticamente nenhuma experiência profissional. Conseguimos chegar aos tais €55k, com o apoio da Portugal Ventures, e chegar aos €20M de faturação em 10 anos. Com a equipa certa, esforço e dedicação, conseguimos chegar a bom porto. 

What does it mean to carry out an IPO?

It’s a landmark for the company. In a year in which we are celebrating our 10-year anniversary, we got listed on the stock exchange and have a whole new level of exposure. Like the saying goes, we’re in a ‘new league’, which is much more demanding, but which also brings with it a whole lot of opportunities. It’s also interesting because it allows more investors to back Science4You’s growth, a startup which is 100% Portuguese.

Your company, which produces and commercialises scientific and educational toys and games, was founded 10 years ago. With more than 20,000 points of sale, the brand’s toys are already on the shelves over 40 countries across the globe. What led you to get listed on the Stock Exchange? And why now?

What drives us is our desire to give the company a more diversified financing structure, especially its capital, to continue to drive expansion and create value for our shareholders. We always believed that we could launch an IPO, and fintech startup Raize's own IPO this year was our trigger. If Raize could do it, then maybe we could too, given all the indicators we compared, and, so, we decided to go ahead. It’s also important to deliver returns to our oldest shareholders, who have been by our side the longest, in particular Portugal Ventures.

 What do you hope to achieve by being listed on the Stock Exchange?

A major part of the transaction is to capitalise the company and continue to grow much more than we did last year. We’ll be using the investment to focus heavily on the e-commerce of our toys. Toys are the easiest and have the biggest share of the online market and we believe that there is still a lot of potential for Science4You to grow. A large part of the investment will be used to continue our focus on e-commerce, which we strongly believe will be the channel through which toys will be sold over the next ten years. It will also be important to help build the company's credibility during this phase of major international expansion.

 Science4You is celebrating its 10th anniversary this year. Where do you see the company in 10 years?

Today, 10 years is a lifetime. If someone asked me 10 years ago where I thought Science4You would be, I’d be lying if I said I would be launching an IPO. But I think I’ve always wanted to make it a global, quality and competitive multinational toy company, that takes Portugal to the four corners of the globe.

What stages did you go through that you consider are key in the life of a startup to ensure success, like Science4You has had? It’s a startup that started out with just EUR 55k.

I try to inspire future entrepreneurs and show them that a solid company can be built from nothing. In my case, I started with EUR 1,125 in my pocket, a senior requirement that nobody really liked and virtually no experience. We reached those EUR 55k, with Portugal Ventures' help, and EUR 20M in turnover in 10 years. With the right team, effort and commitment, we succeeded.