FAQ

Sobre o Capital de Risco e a Atividade da Portugal Ventures

Os fundos de capital de risco são patrimónios autónomos, sem personalidade jurídica, pertencentes aos titulares das unidades de participação, administrados por uma sociedade gestora (como é o caso da Portugal Ventures), que investem por período limitado em instrumentos de capital próprio (e por vezes também alheio) em empresas com elevado potencial de desenvolvimento, como forma de beneficiar da respetiva valorização. A atividade é regulada e supervisionada pela CMVM.

As principais características de um investidor em Capital de Risco são:

  • A entrada do investidor é feita através de capital próprio (Ações) e não dívida (Passivo), permitindo melhorar os rácios de Autonomia financeira da empresa.
  • Não invalida a contratação de outras formas de financiamento (subsídios, empréstimos bancários e outros), ou seja, o investimento de capital de risco pode ser acumulável com outras formas de financiamento, mediante a negociação e algumas condições.
  • Sem reembolsos, nem garantias pessoais ou reais.
  • O investidor de capital de risco tem um lugar no conselho de administração, tem a capacidade de influenciar a estratégia da empresa e participa ativamente no seu desenvolvimento e crescimento.
  • O desinvestimento em capital de risco pode implicar alteração total da estrutura acionista.

Cada projeto de investimento será analisado individualmente de acordo com as suas características. O investimento da Portugal Ventures num determinado projeto será realizado através dos Fundos de Capital de Risco (FCR) por si geridos e deverá ser utilizado para financiar o projeto até ter o produto no mercado e escalar. O investimento da Portugal Ventures é feito de forma progressiva, em tranches, em função do cumprimento de metas (milestone) e objetivos determinados no acordo de investimento.

As metas (milestones) dos projetos são definidas durante o processo de negociação do investimento pelos Promotores e pela Portugal Ventures conjuntamente e pretendem estabelecer os objetivos e planos de ação do negócio durante a fase de investimento. A concretização de cada meta (milestone) irá despoletar a libertação da tranche de investimento subsequente.

A Portugal Ventures investe nas Sociedades através da tomada de uma posição acionista, podendo esta ocorrer na altura da constituição da sociedade ou em momento posterior aquando de um aumento do capital social. Outros instrumentos de capital podem também ser considerados dependendo da situação.

A Portugal Ventures investe através de aumento de capital social, o que provoca a diluição das participações dos atuais acionistas. Esta diluição será tanto maior ou menor, de acordo com a valorização que a Portugal Ventures vier a fazer da Sociedade.

A participação da Portugal Ventures no capital social da empresa varia consoante o resultado da negociação e em função do montante investido e valorização acordada para a empresa.

Não existem custos associados ao acompanhamento das empresas em que investimos. Existem apenas custos iniciais, de montagem da operação, aquando do investimento.

A avaliação é efetuada de acordo com as melhores práticas internacionais, tendo em consideração o grau de desenvolvimento da empresa.

A Portugal Ventures tem diferentes Calls: a Call MVP e Azores, abertas em modo Contínuo e sempre disponíveis para submissão de candidaturas, e as Calls Setoriais – Blue Economy, Green Economy, AgroTech Economy e Tourism com períodos definidos para análise de candidaturas. Uma vez selecionada a Call deve preencher o formulário de candidatura para que o projeto seja analisado pela Equipa da Portugal Ventures. Após a submissão da candidatura, os projetos são sujeitos a uma análise inicial pela nossa equipa, seguida de uma avaliação realizada por painéis de peritos multidisciplinares, nacionais e estrangeiros, terminando com uma apresentação ao Conselho de Administração da Portugal Ventures. Cada uma destas três fases tem carácter eliminatório. Na sequência deste processo e caso a candidatura seja bem-sucedida, ocorrerá a fase de decisão final pela Portugal Ventures e a apresentação da proposta de investimento aos projetos selecionados.

As Calls possibilitam o acesso a investimento de capital de risco por parte de projetos inovadores de base científica e tecnológica. As competições e concursos têm como objetivos a promoção de incentivos, sejam eles qualitativos ou quantitativos. As Calls da Portugal Ventures têm como objetivo o investimento num projeto, com entrada de um investidor na estrutura acionista da empresa.

Sobre o Investimento da Portugal Ventures

A Portugal Ventures investe em projetos:

  • diferenciadores e inovadores com vantagens competitivas face à concorrência
  • com potencial de crescimento e rentáveis à escala global
  • com possibilidade de proteção da propriedade intelectual
  • com validação pelo mercado e, de preferência, com os primeiros clientes angariados, com exceção dos projetos em Life Sciences
  • com equipa com competências adequadas e complementares

As empresas devem:

  • estar já constituídas ou devem ser constituídas à data do investimento da Portugal Ventures
  • estar sedeadas em Portugal, nas áreas geográficas elegíveis em cada Call (caso haja restrições);
  • no caso das empresas estrangeiras, devem desenvolver atividade relevante em Portugal;
  • ter o Estatuto PME emitido pelo IAPMEI
  • Calls Blue Economy, Green Economy, AgroTech BioEconomy e MVP até ao momento do investimento, não ter mais do que 3 anos de exercícios completos desde a data de início da sua atividade; as empresas localizadas na região do Norte, Centro ou Alentejo devem estar a desenvolver novos produtos e / ou serviços (segunda ronda) e não devem estar no mercado há mais de 7 anos desde a sua primeira venda comercial.
  • Call Tourism até ao momento do investimento, não ter mais do que 7 anos de exercícios completos desde a data de início da sua atividade.
  • não apresentar dívidas ao Estado ou à Segurança Social

Os requisitos associados ao produto mínimo viável podem variar consoante a indústria e o projeto. Contudo, um Mínimo Produto Viável pressupõe a apresentação de um produto funcional que esteja já em fase de obtenção de feedback do mercado, de preferência, através da realização das primeiras vendas. Na área de Life Sciences, não é um critério de elegibilidade apresentar um MVP.

A necessidade de feedback por parte do mercado está relacionada com o tipo e o grau de desenvolvimento necessário ao produto à data do investimento. Outro tipo de investidores, como por exemplo os Business Angels, investem em fases mais embrionárias, por norma, com valores de investimento mais baixos. A Portugal Ventures investe a partir do momento em que o produto já se encontra no mercado ou está pronto a entrar no mercado, podendo os requisitos associados ao produto mínimo viável variar de acordo com a indústria e o produto em questão. Na área de Life Sciences, os investimentos não requerem feedback por parte do mercado.

Os projetos tecnológicos devem ter como objetivo a sua expansão internacional. Os projetos não tecnológicos, que podem ser de âmbito regional, devem ter como objetivo também a atração de turistas internacionais.

Sim, desde que esteja perfeitamente identificado o novo projeto, podendo o investimento da Portugal Ventures realizar-se na empresa existente, se esta apresentar menos de 7 anos de atividade, ou numa nova empresa a criar.

Nos projetos de investimento não tecnológicos, que impliquem a necessidade de licenciamento da construção por parte das autoridades competentes, o processo de licenciamento tem que estar concluído.

Sim. A Call Azores é uma iniciativa para promotores de projetos empreendedores e inovadores em áreas estratégicas para a Região Autónoma dos Açores que se encontram na fase inicial da sua vida (Seed) ou na fase de crescimento e expansão para projetos de bens transacionáveis inovadores e/ou que promovam o reforço da capacidade de exportação dos Açores. Para mais informações consultar a página de detalhe desta call no documento FAQS e Regulamento.

A Portugal Ventures não investe em ideias de negócio. Investe em:

  • Projetos em fase Seed devem ter um protótipo funcional e feedback preliminar do mercado.
  • Projetos em fase Early Stage devem ter iniciado operações, mas ainda não entraram na fase de um sólido processo comercial, de produção e vendas.

O processo de avaliação das candidaturas decorre em 5 momentos:

  • Preenchimento do formulário de candidatura online
  • As candidaturas são analisadas em 15 dias, após a submissão do projeto
  • Se o projeto passar a fase de pré-seleção, é constituído um painel de peritos empresariais e tecnológicos, nacionais e internacionais, para que o Promotor apresente o seu pitch. Estes painéis de validação apoiam a análise de investimento realizada pela Portugal ventures, utilizando as melhores referências e práticas internacionais dos respetivos setores de atividade.
  • Tendo em consideração as recomendações dos painéis de peritos, e caso o painel de avaliação aprecie favoravelmente a candidatura do projeto, a Portugal Ventures convidará o Promotor para uma segunda apresentação por forma a avaliar a oportunidade de negócio e tomar a decisão de investimento. Nesta altura, o Promotor fará um pitch ao Conselho de Administração da Portugal Ventures, seguido de perguntas e respostas
  • Se o projeto for selecionado, avança-se para a fase de apresentação de proposta de investimento, que ocorre, geralmente, até 90 dias após a fase de pré-seleção inicial

Este método de avaliação permite que a Portugal Ventures obtenha opinião qualificada de peritos multidisciplinares, nacionais e internacionais. Este processo tem duas fases:

  • A primeira fase é uma sessão de apresentação (pitch) por parte do Promotor, seguida de um período para perguntas e respostas. Os membros dos painéis terão a oportunidade de interagir com os promotores, permitindo-lhes ter uma opinião mais fundamentada sobre a equipa e o projeto.
  • Posteriormente, e na segunda fase deste processo, os peritos irão formar uma avaliação qualitativa de cada projeto, baseando-se na informação enviada na candidatura, no pitch realizado pelos promotores e na subsequente discussão. Esta avaliação qualitativa terá em consideração o regulamento, a identificação dos principais riscos, as medidas possíveis de mitigação, bem como a oportunidade de negócio e de investimento no projeto.

A Portugal Ventures procura ter nos painéis de avaliação, especialistas com experiência e conhecimentos relevantes nas áreas dos projetos candidatos. Na área Parceiros encontra informação acerca de alguns dos peritos que fazem parte da nossa rede de contactos.

A presença nas sessões de apresentação/pitch (com o painel de avaliação de Peritos e com o Conselho de Administração da Portugal Ventures) é obrigatória, de modo a que os painéis de avaliação, primeiro, e a Portugal Ventures, posteriormente, possam avaliar a oportunidade de investimento. Não é obrigatória a presença de todos os membros.

Nas sessões de apresentação (pitch), os promotores devem abordar os seguintes temas:

  • Promotores/Equipa – Equipa de gestão, conselheiros, prémios e reconhecimentos;
  • Problema/Oportunidade – Qual a oportunidade de mercado identificada?
  • Solução e proposta de valor – Caracterização do produto desenvolvido e a forma como se pretende evidenciar no mercado o seu valor acrescentado;
  • Competição e Diferenciação – Quem são os concorrentes e como é que se propõem distinguir no mercado em relação a esses operadores e quais as vantagens comparativas?
  • Caracterização e dimensão do mercado – Qual a dimensão de mercado e qual a velocidade de crescimento expectável nos próximos anos?
  • Plano de entrada no mercado – Qual o plano inicial de abordagem ao mercado?
  • Vendas – Plano de negócio, estruturação da política de preços e evolução expectável face à situação atual?
  • Milestones do projeto e plano de financiamento – Quais os objetivos estratégicos definidos e quais os montantes a financiar para o seu alcance?
  • Próximas rondas de financiamento e desinvestimento – Qual o plano para o próximo passo estratégico? Quando é expectável que possa ocorrer um desinvestimento? Quais são as expetativas de valorização da empresa?

A constituição da empresa pode ser efetuada aquando do investimento da Portugal Ventures.

A Portugal Ventures fará sempre uma análise à situação do capital pré-investimento e, no caso deste ser detido por entidades coletivas, será também tida em consideração a estrutura das mesmas.

Sim, mas no caso de haver uma decisão de investimento por parte da Portugal Ventures num determinado projeto, os promotores deverão dedicar-se a esse e nele concentrar todos os seus esforços.

Sim, desde que os promotores criem a empresa ou tenham atividade significativa em Portugal.

Sim, desde que os promotores criem a empresa ou tenham atividade significativa em Portugal. Cada situação será analisada tendo em consideração a fase em que se encontra o projeto bem como o respetivo plano de negócio e de desenvolvimento.

Sim, no entanto, as questões que foram previamente levantadas e que conduziram a uma não seleção devem estar resolvidas.

A Portugal Ventures está disponível para co investir com outras entidades interessadas, permitindo assim aumentar o valor máximo da ronda.

Sim, são compatíveis, embora possam existir restrições. Nestes casos, aconselhamos que os projetos disponibilizem toda a informação acerca do incentivo de financiamento recebido e sobre a sua aplicação.

Os valores de investimento serão analisados durante a fase de negociação dependendo de diferentes fatores, tais como a valorização da empresa e as necessidades de subscrição de capital.

A Proteção da Propriedade Intelectual é da responsabilidade dos promotores do projeto. No entanto, a Portugal Ventures assegura a confidencialidade de toda a informação partilhada. A nossa plataforma tem protocolos de segurança e só se encontra acessível aos colaboradores da Portugal Ventures.

A Portugal Ventures avalia cada projeto de forma rigorosa, assinalando três fatores como sendo os mais críticos para que a candidatura não obtenha parecer favorável para investimento:

  • a equipa de Promotores e a desadequação das suas competências às necessidades do projeto
  • a incapacidade para demonstrar a diferenciação do produto/serviço face ao que existe atualmente no mercado global
  • o estágio imaturo de desenvolvimento do projeto e respetivo feedback do mercado.

Sobre as candidaturas às Calls - Condições Técnicas

  • Sim, com exceção da Call Azores e Call Tourism Non-Tech, cujos formulários estão em português. Duas razões para as quais é importante o preenchimento em inglês: se o projeto chegar às sessões de apresentação (pitch), toda a informação terá que ser entendida pelos painéis de avaliação, compostos por peritos nacionais e internacionais.
  • os projetos em que a Portugal Ventures investe têm de ter uma orientação para o mercado global, o que implica que os promotores devem ter a capacidade de vender os projetos e respetivos produtos/soluções a potenciais clientes, parceiros e/ou investidores de outras nacionalidades.

O Plano de Negócios deverá indicar o montante solicitado à Portugal Ventures para investimento, bem como a aplicação desse montante. No entanto, estes poderão ser objeto de revisão durante a fase de negociação.

Sim, o pitch em formato vídeo é obrigatório. É uma ferramenta muito importante sobretudo na fase de pré-screening. Não é necessário que o vídeo seja realizado por um profissional. Apenas necessita do seu computador ou de uma câmara de um telemóvel para que possa transmitir a sua perspetiva sobre o projeto (promotores/equipa, problema/oportunidade, solução e proposta de valor, tecnologia, competição/diferenciação, mercado, vendas, situação financeira, etc).

Se fizer upload do vídeo como vídeo não listado, apenas as pessoas que têm acesso ao link o poderão visualizar. Um vídeo não listado não aparecerá em nenhum espaço público do YouTube (canais, pesquisa ou homepage). Como criar um vídeo não listado no YouTube:

  1. Fazer sign in da sua conta ou criar uma;
  2. Clicar no botão Upload no topo da página;
  3. Selecionar o vídeo armazenado no seu dispositivo;
  4. Alterar as Condições de Privacidade de Público para Não listado;
  5. Garantir que faz Salvar Alterações no botão do fim da página.

Sobre a Rede Ignition Partners

A rede de Ignition Partners é constituída por incubadoras, aceleradoras, universidades, polos tecnológicos, associações e clusters, que dão apoio aos empreendedores e os orientam na preparação e qualificação dos projetos. Esse apoio resulta em:

  • na triagem de projetos enquadráveis na estratégia de investimento da Portugal Ventures
  • no apoio aos empreendedores no processo de candidatura, nomeadamente, no preenchimento do formulário e na estruturação da proposta de investimento. Este apoio traduz-se em assessoria técnica necessária à prestação da informação pelos promotores do projeto no formulário de candidatura relativa a: o Definição completa do produto; o Estudo completo de viabilidade tecnológica; o Estudo completo de viabilidade de mercado; o Protótipo de engenharia; o Plano de negócios; o Definição do posicionamento na cadeia de valor; o Preparação para financiamento privado e/ou parceria estratégica
  • na ligação entre o empreendedor e a Portugal Ventures durante o processo de candidatura às Calls, caso haja questões relevantes
  • no acompanhamento ativo da empresa após o investimento da Portugal Ventures, através de ações de mentoring e coaching, acesso a infraestruturas de I&D, apoio administrativo e logístico, apoio a gestão e desenvolvimento de negócio, apoio a comercialização e promoção de sinergias na comunidade onde se insere.

O promotor pode submeter o seu projeto sem requerer o apoio de um Ignition Partner, contudo, este apoio pode traduzir-se numa candidatura melhor estruturada e qualificada.